Projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica recebe apoio no Paraná

Projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica recebe apoio no Paraná

Categoria(s): Arquivo

Publicado em 24/02/2014

A intensa jornada de encontros, reuniões e entrevistas empreendida pela equipe da Iniciativa Verde no fim de fevereiro resultou em importantes apoios ao projeto financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Neste atual projeto, objetivo é restaurar ao menos 100 hectares de matas ciliares, ainda em 2013.

A equipe coordenada por Renato Miazaki de Toledo, técnico da Iniciativa Verde, esteve em municípios que integram a bacia hidrográfica do Rio Piquiri como Formosa do Oeste, Nova Aurora e Assis Chateaubriand. Nestas cidades foram realizadas reuniões com o poder público visando esclarecer os principais pontos e os benefícios aos agricultores que decidirem aderir voluntariamente ao projeto Iniciativa BNDES Mata Atlântica.

O trabalho está concentrado na chamada Frente Corredor do Piquiri, trecho que abrange os municípios de Palotina, Formosa do Oeste, Nova Aurora e Assis Châteaubriant. Os Corredores Ecológicos do Paraná contemplam uma faixa de cinco quilômetros às margens dos grandes rios do estado. Esses corredores têm o objetivo de ligar os fragmentos remanescentes de vegetação nativa da Mata Atlântica.

O prefeito de Formosa do Oeste, José Roberto Coco, reuniu membros de sua equipe para conhecer e discutir o projeto. Ele gostou dos principais objetivos e prometeu colocar a prefeitura e sua equipe à disposição para o contato com os agricultores. Segundo o prefeito, “a importância da mata ciliar é algo que não se discute mais”.

Já na cidade de Nova Aurora, o vice-prefeito José Berta classificou o trabalho de preservação dos rios da região como algo de grande importância e também colocou sua equipe para dar apoio ao projeto. O secretário de Agricultura de Assis Chateaubriand, Mauro Guerra, ficou impressionado com o projeto e irá informar os produtores do município sobre as vantagens de ceder as margens de rios em suas propriedades para serem recuperadas e preservadas.

Segundo Renato Miazaki, as visitas tiveram êxito, “acredito que o projeto alcance um novo patamar com os importantes apoios recebidos”, mas ainda há um bom caminho a ser percorrido. “Temos agora que redobrar os contatos com os produtores para contemplar esses esforços com novas áreas cedidas para restauro”, afirmou Renato.

A OSCIP especializada em reflorestamento tem uma atuação destacada no Paraná desde 2009. O trabalho da Iniciativa Verde para a recomposição das matas ciliares da bacia do Rio Piquiri é realizado em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) por meio do Escritório Regional de Toledo. A atual visita tem o objetivo de acelerar o processo garantindo novas adesões e o cumprimento das metas previstas no contrato com o BNDES.


Sobre o projeto

Ele foi desenhado para incluir a agricultura familiar e remunerar o próprio agricultor pela mão de obra de preparo da terra, plantio de mudas e manutenção do reflorestamento na bacia do Piquiri. Apenas o cercamento será terceirizado quando houver necessidade.

As mudas serão doadas pelo IAP e a Iniciativa Verde fornecerá suporte técnico e os demais insumos, além de remunerar os serviços para plantio e parte da manutenção. Os próprios agricultores serão contratados, sempre que possível, de modo a receber diretamente pelos serviços. O recurso inclui os serviços de cercamento, os insumos que forem necessários (diesel, iscas, formicidas, entre outros) e uma ajuda de custo a ser paga diretamente ao agricultor.

  • 699 Hectares Reflorestados
  • 114.119 Toneladas de CO² compensados
  • 911 Empresas