Plantando o amanhã: Iniciativa Verde faz compensação ambiental

Plantando o amanhã: Iniciativa Verde faz compensação ambiental

Categoria(s): Arquivo

Publicado em 04/01/2017

Em 2016, a Iniciativa Verde disponibilizou para parceria com empresas o seu maior conhecimento: a recuperação de áreas degradadas com o plantio de árvores nativas e com o plano de manejo. Na prática, organizações que, por diversos motivos, precisam realizar compensações ambientais e que podem fazê-las por meio do plantio de árvores nativas, agora têm a possibilidade de contratar a ONG para executar esse trabalho.

Isso significa que a empresa contrata uma organização que vai estimular a economia da área que recebe os plantios, distribui renda, beneficia famílias locais, leva conhecimento técnico sobre a recuperação de florestas para produtores rurais, estimula a conservação e a preservação dos biomas brasileiros. É uma parceria que pretendemos aumentar em 2017. É, acima de tudo, uma maneira de mostrar para as empresas em geral como é gratificante e compensador cuidar das nossas vegetações nativas.

Participação no Programa Nascentes de São Paulo
A Iniciativa Verde foi uma das primeiras organizações a propor projetos de recomposição florestal para o Programa Nascentes, do Governo do Estado de São Paulo, que tem como objetivo recuperar a vegetação combinando diversas ações por meio do financiamento por empresas que precisam cumprir Termos de Compromisso de Recuperação Ambiental (TCRAs). A novidade do Programa Nascentes é a possibilidade de agilizar o cumprimento de condicionantes do licenciamento ambiental. As obrigações de plantio de árvores podem ser alocadas em projetos previamente aprovados e localizados em áreas prioritárias, como regiões de mananciais e Unidades de Conservação. As empresas ganham tempo e a sociedade recebe mais benefícios na recuperação ambiental.

Revivendo uma floresta
Um dos maiores projetos de compensação ambiental de 2016 é o de recuperação de 72 hectares (o que equivale a mais de 120 mil árvores) com financiamento da concessionária Arteris, responsável pela duplicação de parte da Autopista Régis Bittencourt. Essa floresta está sendo plantada no Parque Estadual do Rio Turvo, cortado pela rodovia em questão e famoso por ter sido o local onde foi encontrado o fóssil do Homem da Capelinha, o mais antigo registro de ocupação humana dentro do Estado de São Paulo. Seis pessoas foram contratadas diretamente pela Iniciativa Verde apenas para plantarem todas essas árvores! Um árduo trabalho que já pode ser aproveitado por todos os visitantes do parque. Um local que reúne história, antropologia, cachoeiras e uma imensa diversidade de animais e vegetais.

Mais água, por favor
• A Iniciativa Verde realizou oficina de saneamento básico no Parque Estadual do Rio Turvo (SP). Mais de 50 pessoas se reuniram para participar da oficina em outubro: equipe da Iniciativa Verde, moradores da região, representante da Companhia Ambiental do Estado De São Paulo (CETESB) de Registro, representantes da Prefeitura de Cajati, grupo ATER Mulher Agroecologia (mulheres de um projeto de assistência técnica e extensão rural do Bairro Conchas), professores e alunos da Universidade Estadual Paulista (Unesp), seis gestores das Unidades de Conservação da região, técnicos da Fundação Florestal, representante da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, bióloga e coordenadora da instalação, Aline Gomes Zaffani. O objetivo foi buscar a continuidade do Projeto Plantando Águas, que teve patrocínio da Petrobras, mas que agora passa a ser realizado na região em questão, e mostrar para a população como tecnologias acessíveis podem preservar o solo e a água.
• A Aline também apresentou o “Projeto Plantando Águas e o Monitoramento Participativo da Qualidade da Água em Áreas Rurais” no X Simpósio da Especialização em Educação Ambiental: Diálogo de Saberes para cidadania socioambiental (XV Simpósio PPG-SEA), realizado em outubro em São Carlos (SP).

 

 

  • 699 Hectares Reflorestados
  • 112.595 Toneladas de CO² compensados
  • 906 Empresas