No campo da sustentabilidade, o protagonismo feminino se destaca

No campo da sustentabilidade, o protagonismo feminino se destaca

Categoria(s): Arquivo

Publicado em 07/03/2018

 Nos 12 anos de existência da Iniciativa Verde, a organização tem percebido o crescente protagonismo das mulheres que atuam em prol da sustentabilidade – trabalhando diretamente campo, chefiando grupos de agricultura familiar, envolvidas no restauro florestal, em diversas outras atividades socioambientais e na própria equipe da Iniciativa, que hoje é majoritariamente feminina.

A tendência é promissora, pois pode ajudar a reparar a desigualdade histórica na qual as mulheres foram e são desfavorecidas. Entre os mais pobres, mulheres e meninas ainda são maioria, sendo 72% do número de pessoas que sofrem com pobreza extrema no mundo. Isso as deixa ainda mais vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas e da degradação ambiental.

Por isso é vital envolver a equidade de gênero nos objetivos do desenvolvimento sustentável. Numa cartilha lançada em 2017 pelo Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, Suzana Pádua, do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), comenta que a inclusão das mulheres pode aumentar a força de trabalho, produzir riquezas e fomentar o empreendedorismo, além de ampliar as oportunidades de negócios familiares e promover o uso sustentável dos recursos naturais.

Na produção de mudas e sementes para restauração de paisagens florestais, por exemplo, as mulheres já representam 50% da força de trabalho. Para Suzana, as mulheres são fundamentais para enfrentar os desafios socioambientais pois, no geral, tendem a pensar nos benefícios para a coletividade.

A aproximação dos movimentos feministas, das mulheres, e dos movimentos ambientalistas até gerou um termo próprio: ecofeminismo. Foi cunhado por Françoise d’Eaubonne, em 1974, e definido como “a capacidade das mulheres, como impulsoras de uma revolução ecológica, de ocasionar e desenvolver uma nova estrutura relacional de gênero entre os sexos, bem como entre a humanidade e o meio ambiente”. No Brasil, foi na ECO92 que esses movimentos se uniram para definir as bases do ecofeminismo no país.

Neste Dia Internacional da Mulher, a Iniciativa Verde celebra todas que superam barreiras e ajudam a construir um mundo melhor para todos.

Fontes: Agência Fapesp (http://agencia.fapesp.br/mulheres_sao_mais_vulneraveis_aos_impactos_das_mudancas_climaticas_globais/16146/)
Censo Demográfico do IBGE 2010
Cartilha “Semeando Equidade – perspectivas de gênero na restauração de paisagens florestais” – Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, com apoio técnico da UICN - União Internacional para a Conservação da Natureza, 2017.

  • 699 Hectares Reflorestados
  • 114.267 Toneladas de CO² compensados
  • 916 Empresas