A recuperação florestal é de interesse de todos os paulistas e paulistanos

A recuperação florestal é de interesse de todos os paulistas e paulistanos

Categoria(s): Arquivo

Publicado em 20/11/2014

Proposta de lei para compensar emissões de grandes eventos na capital paulista deverá contribuir para melhorar disponibilidade hídrica da região e qualidade de vida de seus moradores

Na semana passada foi entregue à Frente Parlamentar da Sustentabilidade na Câmara Municipal de São Paulo, uma proposta de projeto de lei que visa compensar a emissão de gases de efeito estufa dos grandes eventos realizados na cidade de São Paulo.

O vereador Ricardo Young, presidente da Frente, recebeu das mãos de Roberto Resende, presidente da Iniciativa Verde, um esboço do projeto para ser analisado e discutido, primeiramente no âmbito da frente parlamentar e, posteriormente, nas comissões da Câmara Municipal, antes de ser encaminhada para votação pelo conjunto de vereadores da cidade de São Paulo.

Também estiveram presentes à entrega da proposta, os diretores da Iniciativa Verde Pedro Barral e Lucas Pereira, além do jornalista e assessor da ONG, Reinaldo Canto.

A progressiva destruição da cobertura florestal da Região Metropolitana de São Paulo e a consequente deterioração das condições climáticas, da qualidade de vida e da dramática perda dos recursos hídricos foram motivações para a elaboração do projeto que, além da Iniciativa Verde, também conta com o apoio das organizações SOS Mata Atlântica, Associação Águas Claras do Rio Pinheiros e Imaflora.

Esta proposta considera os grandes eventos esportivos, culturais, religiosos, festivos e assemelhados que reúnam um número mínimo de 1.000 pessoas, em locais públicos e que já necessitam de autorização conforme regulamento próprio.

Para o presidente da Iniciativa Verde, Roberto Resende, a ideia central da lei é bastante simples e de fácil execução, “primeiro obriga que os responsáveis por grandes eventos na cidade de São Paulo façam o inventário das suas emissões de gases de efeito estufa (GEE), ou seja, calcular quanto de gás carbônico e outras gases que causam o efeito estufa são emitidos para atmosfera por causa desta atividade. Após isso deve ser feita compensação pelo plantio de árvores nativas, em projetos de arborização urbana ou reflorestamento de mananciais de interesse da Cidade”.

Segundo Roberto, “além de ajudara captar recursos para financiar o plantio de árvores esta lei deve ajudar na conscientização do público dos eventos, dos organizadores e da população em geral quanto à questão das mudanças climáticas, da proteção dos mananciais e da conservação ambiental”.

Um dos grandes méritos da lei, de acordo com seus proponentes, é fazer com que todo o processo para o seu cumprimento irá ajudar a induzir uma redução das emissões com processos mais limpos sem que isso cause grandes impactos financeiros ao setor de eventos e as empresas patrocinadoras.

O projeto de lei tomou como base uma Portaria da Prefeitura de São Paulo já existente desde 2007 que traz esta obrigação para os eventos realizados no Ibirapuera e outros parques municipais. A proposta visa reforçar e estender para outros eventos de grande porte, como corridas e desfiles esta obrigação.

Leia a íntegra da proposta inicialmente apresentada, no site da Iniciativa Verde

Sobre a Iniciativa Verde

A Iniciativa Verde é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que tem como missão contribuir para a construção de um novo tempo baseado em uma economia de baixo carbono e na redução dos impactos ambientais causados pelas atividades humanas.

A instituição acredita na busca por novas alternativas de desenvolvimento e oferece uma gama de projetos relacionados ao combate às mudanças climáticas, recuperação ambiental, conservação da biodiversidade e recomposição florestal.

Informações para a Imprensa:
Reinaldo Canto
reicanto@uol.com.br e telefones: 11 3647-9293 e 11 9 9976-1610

  • 710 Hectares Reflorestados
  • 115.569 Toneladas de CO² compensados
  • 926 Empresas